Kefir: Por que você deve considerar o Kefir na sua dieta?

Rei absoluto nos fóruns e sites sobre alimentação saudável e emagrecimento, o Kefir é uma bebida probiótica, feita a partir da fermentação de leite ou de água com açúcar mascavo.

Para fazer essa fermentação, os grãos de kefir são adicionados a bebida que será fermentada (água com açúcar mascavo ou leite). Durante as próximas 24 horas, os microorganismos nos “grãos de kefir” se multiplicam e fermentam os açúcares da bebida, transformando-a em kefir.

Quer saber mais sobre esse alimento? Confira o nosso artigo.

Kefir é Paleo?

Bom, assim como o leite e outros de seus derivados, o kefir também é alvo de bastante polêmica quando o assunto é dieta Paleo. Assim como comentamos no  outro artigo:

Quando consideramos as diretrizes de forma mais rígida, não, o leite e seus derivados não são paleo. Uma vez que consumimos o leite apenas quando somos crianças, como fonte principal de nutrientes e um aporte inicial para o nosso sistema imunológico.

Uma vez que, naturalmente, nosso organismo produz a lactase até os 2 anos de idade, apenas para cobrir o tempo de amamentação. Não é de se admirar que o leite de vaca (e outros mamíferos) não fazia parte da dieta dos nossos ancestrais. Mesmo porque é de se imaginar que nossos ancestrais ainda não ordenhavam vacas ou outros animais na era paleolítica. Afinal de contas, foi apenas com a agricultura e a domesticação de animais é que passamos a ter leite, manteiga, iogurte e derivados na nossa alimentação.

Outra evidência de que você pode se beneficiar de moderar no leite (e seus derivados) é justamente o seu potencial alergênico. Grande parte das pessoas não possui o organismo adaptado para processar a lactose e a caseína.

 Ou seja, também para o Kefir, a palavra de ordem é moderação. Afinal de contas, apesar da dieta paleo se basear em alimentos com menor potencial alergênico, equilíbrio é a palavra da vez. Se você não tem intolerância nem alergia a leite e seus derivados e gostaria de consumir um alimento super probiótico, não tem porque não incluir o kefir no seu cardápio, em moderação. 😉

O que é o Kefir?

O kefir, basicamente, é uma colônia de bactérias e leveduras que se assemelham muito a grãos. Esses grãos, ao ser adicionados em um meio com açúcar (normalmente leite ou água com açúcar mascavo), fermentam a bebida e se multiplicam.

Ao se retirar os grãos do kefir, o resultado é uma bebida probiótica, rica em nutrientes e base para o preparo de outras bebidas (você vai entender mais sobre o preparo de outras bebidas mais no artigo sobre segunda fermentação de kefir).

Para você entender o potencial probiótico do kefir: o kefir de leite possui mais de 50 variações de leveduras e bactérias benéficas para o nosso intestino. Enquanto que a maioria dos probióticos comercializados em farmácias possuem apenas 4 variações. Ou seja: o kefir possui cerca de 12 vezes mais agentes probióticos do que um probiótico de farmácia.

Quer entender um pouco mais sobre os probióticos? Confira o nosso artigo sobre a importância das bactérias para o nosso corpo.

Benefícios do Kefir

Kefir é um super alimento. Rico em vitamina B12, cálcio, magnésio, vitamina K2, biotina, folatos, enzimas e bactérias benéficas (probióticos!), mas as quantidades desses nutrientes variam muito de acordo com o tipo de cultura usada, região, etc. Mas é fato inegável que, independente da cultura e lugar, o Kefir será sempre um alimento muito rico em nutrientes.

O consumo de kefir está associado com diversos benefícios, entre eles:

Melhora do sistema imunológico / Ajuda a curar a síndrome do intestino permeável / Combate alergias: por ser um probiótico, o kefir ajuda a reequilibrar a flora intestinal e, por consequência, melhora também o sistema imunológico e tem resultados positivos na síndrome do intestino permeável ou irritável.

Ao melhorar o sistema imunológico, o kefir também proporciona efeitos positivos no combate de alergias e digestão de lactose.

Melhora a densidade óssea: Além de conter algumas vitaminas essenciais para os ossos (Vitamina d, magnésio, cálcio, etc), o uso de kefir também melhora a absorção desses nutrientes, o que pode ajudar na prevenção de osteoporose.

Mata a cândida: Sim. O Kefir ajuda o sistema imunológico a matar as bactérias associadas a cândida.

Tipos de Kefir

Kefir de Água

São os grãos responsáveis pela fermentação de água com açúcar mascavo e também podem ser encontrados através dos seguintes nomes:

  • Tibico
  • Water kefir
  • Cristais Japoneses

Para mais informações sobre o Kefir de Água, veja esse artigo: Kefir de água: dicas, cuidados e receitas.

Kefir de leite

São os grãos responsáveis pela fermentação do leite, que resulta em uma bebida muito parecida com iogurte.  O kefir de leite também é conhecido pelos seguintes nomes:

  • Bicho do iogurte
  • Bichinho do iogurte

Para mais informações sobre o kefir de leite, confira o nosso artigo: kefir de leite: dicas, cuidados e receitas.

E os outros tipos de kefir?

Se você está começando a pesquisar sobre o assunto, já deve ter notado que algumas pessoas usam o kefir com água de côco, leite de soja, entre outros leites vegetais e até mesmo suco de frutas.

Mas se existem apenas dois tipos de kefir, como as pessoas conseguem fazer essas fermentações?

Várias pessoas separam parte de suas colônias de kefir de água ou de kefir de leite para fermentar outros meios, como água de côco, leite de amêndoas (soja, côco ou outros vegetais).

Para conseguir esse feito, essas pessoas adaptam parte de sua colônia de kefir em um novo meio.

Como adaptar meu kefir em outro meio?

O processo para “transformar” o kefir de água em kefir de água de côco ou outro leite vegetal deve ser feito aos poucos.

Ou seja, vá substituindo, aos poucos, a água com açúcar mascavo ou leite, pelo novo meio (água de côco e leites vegetais, por exemplo).

Nos primeiros dias, use metade do meio original e metade do meio novo. Se você perceber que os grãos de kefir estão se desenvolvendo de forma normal, continue o processo e vá removendo o meio original até trocar totalmente pelo meio novo. 😉

Veja abaixo alguns exemplos:

Kefir de água de côco: Normalmente é feito a partir da adaptação do kefir de água em água de côco.

Kefir de leite de côco: Normalmente é o resultado da adaptação do kefir de água em leite de côco.

Kefir de suco de uva: Já ouviu falar de vinho de kefir? Pois então, existem duas formas de fazer essa receita. A primeira e mais recomendada é através da segunda fermentação do kefir de água com suco de uva, a segunda forma é a adaptação do kefir de água no suco de uva.

Kefir de leite de soja: é possível encontrar vários relatos de pessoas que passaram a fazer o kefir de leite de soja adaptando tanto o kefir de água quanto o próprio kefir de leite.

Kefir de leite de amêndoas / aveia / arroz / outros leites vegetais: assim como o kefir de leite de soja, é possível encontrar vários relatos de pessoas que passaram a fazer o kefir de leite vegetal adaptando tanto o kefir de água quanto o próprio kefir de leite.

Cuidados!

Uma vez que você começa adapta seus grãos para um novo meio, jamais misture os grãos com a colônia original ou tente usar o meio original. Dessa forma você evita a contaminação de sua colônia original. 😉

Sempre que você considerar fazer uma adaptação, use apenas uma pequena porção de sua colônia original. Dessa forma você evita perder toda a colônia quando um experimento dá errado. Além disso, você também consegue fazer vários experimentos.

Ao experimentar, sempre verifique os cheiros e aparências das fermentações. Sempre que você tentar um novo meio, fique atento(a) aos cheiros e aparências das fermentações. O kefir sempre possui um cheiro parecido com iogurte ou fermento biológico, mesmo quando adaptado.

Onde encontrar o Kefir?

É possível encontrar o Kefir tanto de graça (através de doação dos grãos), em grupos e comunidades do facebook, quanto também para comprar, em alguns sites específicos. Abaixo, seguem alguns locais que recomendamos.

Nas comunidades abaixo, é preciso ter um pouco de paciência, mas é possível combinar a data e horário com uma das doadoras e pegar o seu Kefir em mãos. Apesar de dar um pouco mais de trabalho do que simplesmente comprar o kefir, vale muito a pena! Pois ao se inscrever e participar desses grupos, você tem contato com pessoas que já fazem o uso do kefir e aprende bastante com elas.

Para venda do Kefir, encontramos várias opções de sites e até mesmo vendedores no mercado livre. Entretanto, nós recomendamos o trabalho do pessoal do Kefirbr.com.

Mas você também pode entrar em contato através dos comentários, podemos te ajudar a encontrar os grãos de kefir.

5 Comentários


  1. Olá , tudo bem? Primeiramente parabéns pelo texto explicativo, tirou muitas de minhas dúvidas sobre o Kefir. A dúvida que eu tenho agora é se o Kefir de água quebra o jejum. Faço jejum intermitente a um tempo e só começei a fazer uso do kefir agora. Obrigada.

    Responder

    1. Oi, Fernanda,
      é um pouco difícil calcular a quantidade exata de carboidratos presentes no resultado da fermentação, uma vez que varia de colônia para colônia, tipo de açúcar usado, tipo de água usada, temperatura na cidade (uma loucura!). Em média, um copo de água kefirada tem cerca de 15,67 gramas de carboidratos. Como ele é relativamente rico em carboidratos simples, ele pode levar a um aumento nos níveis de insulina (e consequentemente, “quebrar” a eficácia do jejum).

      Você pode optar por tomar a água kefirada fora de sua janela de jejum. =)

      Responder

    1. Olá, Daniela!

      Tanto o kefir de água quanto o kefir de leite possuem uma certa quantidade de carboidratos simples e proteínas, o que pode elevar a sua insulina (e consequentemente, “quebrar” a eficácia do jejum). Você pode optar por tomar o kefir fora de sua janela de jejum. =)

      Responder

  2. Saudações como saber se meu kefir de água esta fermentando?
    Já pós as 24h quando for coar a água esta gaseificada?
    Ou gás é adquirido apenas na segunda fermentação? Estou com meu kefir a 4 dias ainda não notei gás na água e para ser sincero a que provei depois de 24h estava doce.
    desde já agradeço!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *